user_mobilelogo

Noticias

As contribuições para o plano de previdência da PREVES podem ser deduzidas na Declaração do Imposto de Renda (que deverá ser enviada a Receita Federal até o último dia útil do exercício subsequente) até o limite de 12% (doze por cento) do total dos rendimentos computados, ou seja, da renda bruta anual. Em regra, a demarcação está condicionada também para as contribuições para o IPAJM.

 

De acordo com a Lei Complementar Estadual nº 789/14 a PREVES está autorizada para criar um plano para os servidores ocupantes, exclusivamente, de cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração, bem como de outro cargo temporário ou de emprego junto aos Patrocinadores, sem contrapartida dos Patrocinadores. O menor percentual de contribuição será de 3% e os participantes poderão contar com os benefícios de risco (morte e invalidez).

A PREVES está flexibilizando os percentuais de participação do Plano PREVES SE. Provavelmente, a partir de março deste ano, os servidores públicos participantes da previdência complementar poderão contribuir com percentuais inferiores a 8,5%. O menor percentual de contribuição será de 3% e os participantes poderão contar com os benefícios de risco (morte e invalidez).

Anualmente, as Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC), devem enviar aos seus participantes um relatório contendo as principais e mais relevantes informações sobre a previdência, como demonstrativos contábeis consolidados e resumo das informações sobre o demonstrativo de investimentos, conforme resolução CGPC Nº 23 de dezembro de 2006. 

No dia 11/09/2014 foi publicada a instrução nº11 de 10 de setembro de 2014, que em seu art.1º, § 1º as EFPC ficam dispensadas de encaminhar aos participantes ativos e assistidos, o resumo deste relatório por meio impresso. Sendo assim a partir do dia 30/04/2015, em nosso portal, estará disponibilizado o mesmo.

 Leia esta instrução completa aqui.  

Caso exista alguma dúvida, a equipe PREVES está a sua disposição.

No dia 12/01/2015 foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) a Portaria Interministerial MPS/MF n.º 13/2015, que dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e dos demais valores constantes do Regulamento da Previdência Social (RPS):

- Limite Mínimo do Salário de Contribuição: R$ 788,00 (salário mínimo para 2015).

- Limite Máximo do Salário de Contribuição: R$ 4.663,75 (Teto do RGPS para 2015).

Para saber mais, clique aqui.

 

 

 

 

 

 

Curiosidades