user_mobilelogo

Noticias

Investir em previdência complementar é uma boa alternativa de planejar o futuro. Afinal, viver uma aposentadoria tranquila e sem preocupações exige planejamento financeiro, que deve começar desde cedo. Porém, momentos de incerteza, como a perda total ou parcial da remuneração como, por exemplo, o desligamento do órgão onde trabalha, podem colocar esse planejamento em segundo plano. Mas na PREVES é possível manter a previdência complementar mesmo não possuindo mais vínculo com o órgão patrocinador.

Estimular e aperfeiçoar a gestão administrativa dos Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS's) nos municípios do Estado do Mato Grosso. Esse foi o objetivo do 6º Encontro de RPPS promovido pela Associação das Entidades de Previdência do Estado e Municípios Mato-grossenses (Apremat), em parceria com o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) durante os dias 17, 18 e 19 de outubro, em Cuiabá. O diretor-presidente da PREVES,  Alexandre Wernersbach Neves, participa do evento com o painel “Sustentabilidade na Gestão Previdenciária: Alternativas, Equacionamento, Déficit Atuarial”.

Desafios comportamentais, econômicos e sociais da longevidade fizeram parte do tema apresentado pelo presidente do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, Nilton Molina, na manhã da quinta-feira (4). A palestra, direcionada aos profissionais da área de seguro e previdência, foi promovida pela Mongeral Aegon, em parceria com a PREVES e o Sindicato dos Corretores do Espírito Santo (Sincor).

Mais de 700 professores aprovados no concurso público da Secretaria Estadual de Educação (Sedu) passaram pela PREVES no mês de setembro. Os servidores foram nomeados pelo Governo do Estado no mês de agosto e, por isso, compareceram à Fundação a fim de optar ou não pela previdência complementar. Ao todo, 62% escolheram investir um percentual do salário no plano de aposentadoria. Durante o mês de outubro, mais 235 professores nomeados passarão pela PREVES.

A Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) disponibiliza vídeo, com os pontos fundamentais da nova regra de investimentos (Resolução CMN nº 4.661/18).

A expectativa de uma vida longa tem rendido lucros nos mais diferentes setores da economia e em vários países —em especial na Europa e no Japão, lugares em que a população idosa atinge um percentual maior da população. Uma unidade da Nestlé estima que uma nova divisão de suplementos e bebidas nutritivas para a terceira idade crescerá até se transformar em um negócio de quase US$ 1 bilhão (R$ 4,08 bilhões) em até dez anos, traz a FOLHA DE S. PAULO em uma longa e saborosa matéria sobre o tema.